Wednesday, January 6, 2010

Cold outside


["You can sleep while I drive," she said. But that was long before the rain, ages before the streets of buenos aires engulfing our last dollar bills, before the tenor falling from stage at Corrientes, el olor del café y tantas medialunas slowly swallowing her back to the city, a rediscovery of your earlier - and only? - roots, a call desde las calles de San Telmo, and the Rio de la Plata slowly widening between us, then Colonia del Sacramento and all the Uruguayan ranchos, and later the vastitude of Brazil before more water, oceans, and our lost voices.
I slept, baby. I did. And you drove smoothly, nicely. A couple of times I remember vaguely to hear you sing. As you drove. Quietly you sung, I want to believe, all night long..]

"Você pode dormir enquanto eu dirijo," ela disse. Mas isso foi muito antes da chuva, séculos antes das ruas de buenos aires reclamando nossos últimos dólares, antes do tenor cair do palco em Corrientes, el olor delcafé y tantas medialunas lentamente lhe reclamando de volta à cidade, uma redescoberta de suas raízes primeiras - e únicas? - um chamado desde as ruas de San Telmo, e o Rio de la Plata lentamente se alargando entre nós, então Colonia del Sacramento e todos os pampas Uruguaios, depois as vastidões do Brasil antes de mais água, oceanos, e nossas vozes perdidas. 
Eu dormi, baby. Dormi. E você dirigiu suavemente, sem sobresaltos. Em duas ocasiões eu lembro vagamente de te ouvir cantar. Enquanto dirigias. Você cantou calmamente, quero crer, a noite toda..